• (27) 98157 0018
  • (27) 3329 5599
  • Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

INTERSOLAR 2017 em 6 impressões – GRUNNER Energia

Tivemos a oportunidade de visitar a INTERSOLAR SOUTH AMERICA em São Paulo, realizada entre 22 e 24 de agosto, o maior evento na área de energia solar da América do Sul, composto pela maior Feira e Conferência de energia solar do continente.

A Feira composta por 220 stands com o que há de mais moderno e inovador na área de energia solar fotovoltaica, além de sistemas de aquecimento de água solar, contou com a presença de mais de 12.000 visitantes, entre eles estavam fabricantes e distribuidores de equipamentos e acessórios na área solar fotovoltaica e aquecimento solar de água, investidores, integradores e instaladores de sistemas fotovoltaicos, estudantes de diversos cursos, além de entusiastas da área.

A Conferência possibilitou troca de informações e estratégias às indústrias fotovoltaica e de aquecimento solar. Com Palestras e cursos, especialistas nacionais e internacionais discutiram tendências tecnológicas e evoluções do mercado. Dentre as maiores impressões, podemos destacar:

1. Aumento na eficiência dos módulos fotovoltaicos

A cada ano temos aumento na eficiência dos módulos fotovoltaicos, sendo este um grande desafio do segmento, que é reduzir a área ocupada do sistema fotovoltaico e aumentar a geração de energia. Além deste aumento de eficiência, presente em quase todos os fabricantes, podemos destacar também a redução do peso e novas tecnologias tais como um barramento no centro do módulo, de forma a minimizar perdas por sombreamento nas extremidades dos módulos fotovoltaicos, principalmente nas instalações tipo solo.

2. Módulos tipo double glass (Sem moldura)

Estes módulos chegaram com toda força ao mercado, sendo um pouco mais pesados que os tradicionais, por possuírem um vidro duplo (frente e verso) e sistema de fixação diferente dos tradicionais módulos. São mais bonitos e possuem um aspecto mais atraente podendo se integrar mais fácil a arquitetura dos ambientes.

3. Inversores híbridos com sistema de baterias

Os inversores híbridos vieram mesmo para ficar. Atendendo melhor a necessidade do cliente em gerar sua própria energia e não ficar no escuro durante os apagões da concessionária (como no caso dos inversores interativos on-grid). Importante destacar que os inversores híbridos ganharam um grande aliado: a tarifa branca. Esta tarifa é uma nova modalidade tarifária da ANEEL para clientes atendidos em baixa tensão, possibilitando valores diferenciados do kWh de acordo com a hora e o dia da semana, permitindo ao consumidor utilizar o sistema de baterias para os horários de ponta.

4. Redução da quantidade de expositores internacionais

Acredito que a atual conjuntura econômica do pais, atrelado a ausência de leilões na área de energia solar fotovoltaica, tenha contribuído para reduzir um pouco o apetite dos fornecedores internacionais. A presença destes fornecedores possibilita a ampliação do mercado de energia solar, possibilitando custos e produtos com maior competitividade e tecnologia.

5. Aumento da concorrência entre distribuidores

Outro tópico interessante observado foi o crescimento de distribuidores locais de equipamentos, fornecendo kits e cadastrando integradores, numa competição acirrada, disputando um mercado que cresce bastante, principalmente para atendimento a clientes alimentados em baixa tensão, com as maiores tarifas de kWh do mercado. Dentre as principais ofertas, podemos destacar: Novas ferramentas para elaboração e acompanhamento de propostas; Sistema de consórcio fotovoltaico; Oferta de frete grátis; Novas linhas de financiamento e por último e não menos importante a oferta de novas cotações frente a preços menores. Tais elementos mostram que o mercado está respondendo a importância da energia solar fotovoltaica.

6. Ausência de fabricantes de veículos elétricos e sistemas de recarga solar

Uma grande ausência sentida na feira, e que já é bem crescente em países como Japão, China, Noruega foram veículos elétricos e sistemas para abastecimento. Apesar de estar presente na feira um veículo elétrico TESLA Elektra (show à parte logo na entrada da feira), avaliado em aproximadamente R$ 800 mil. Lamentavelmente por falta de incentivos e impostos ainda incompatíveis com o propósito de fomentar esta tecnologia, que certamente irá substituir os veículos a combustão, iremos esperar ainda alguns anos para ter essa tecnologia expandindo por aqui.

Ano que vem a INTERSOLAR já foi confirmada e irá ocorrer entre os dias 28 e 30 de agosto de 2018, vamos acompanhar as novidades radiantes que vem por aí, neste importante e crescente segmento.

Muita energia a todos!!

Renato Pimentel de Souza